Trip Report: American Airlines Challenge – Admirals Club LAX

1. Introdução;
2. Busca das passagens;
3. Busca de hotéis;
4. Voo Avianca 6261 FLN/GRU;
5. Centurion Lounge Guarulhos (GRU);
6. Sala Vip Diners Club Guarulhos (GRU);
7. Admirals Club Guarulhos (GRU);
8. Sala Vip Smiles Guarulhos (GRU);
9. Voo American Airlines 950 GRU/JFK;
10. Admirals Club Nova Iorque (JFK);
11. Voo American Airlines 1 JFK/LAX;
12. Aluguel de carro em Los Angeles;
13. Residence Inn Beverly Hills;
14. Hotel Crowne Plaza LAX;
15. Admirals Club LAX;

Consegui ir dormir cedo, o que foi providencial, já que tinha de acordar com as galinhas para ir para o aeroporto, já que meu voo tinha horário previsto para as 05:55. Como já tinha deixado tudo pronto, foi só descer e esperar o shuttle, o que não demorou muito.

Em poucos minutos estava no terminal 4 do Aeroporto Internacional Tom Bradley (LAX) para fazer meu check in no voo rumo a Asunción, com uma longa conexão em Miami.

Os voos que saem neste horário são chamados pelos americanos de red eye já que pela falta de sono os passageiros estão todos com os olhos vermelhos.

Feito o check in, passar pela segurança foi tranquilo, já que neste horário não há tantos voos decolando.

Como ainda tinha um tempo e não tinha tomado café da manhã, fui até o Admirals Club que fica perto do portão 40, que abre diariamente das 04:30 até as 00:15.

O lounge é bem grande e conta com diversas áreas de trabalho, ligações locais grátis, televisões, business center com computadores e impressoras, kids room, bar e alguns snacks.

Como era muito cedo, vocês vão me desculpar mas tirei pouquíssimas fotos. Ainda não tava atinando muito bem. Eis a entrada do lounge, que é compartilhado com a Qantas:

295

296

As opções do café da manhã eram ainda mais reduzidas que as do Admirals Club do JFK, então vocês já viram. Mas deu pra tapear a fome até chegar a bordo.

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto direito superior ou aqui embaixo).

Trip Report: American Airlines Challenge – Hotel Crowne Plaza LAX

1. Introdução;
2. Busca das passagens;
3. Busca de hotéis;
4. Voo Avianca 6261 FLN/GRU;
5. Centurion Lounge Guarulhos (GRU);
6. Sala Vip Diners Club Guarulhos (GRU);
7. Admirals Club Guarulhos (GRU);
8. Sala Vip Smiles Guarulhos (GRU);
9. Voo American Airlines 950 GRU/JFK;
10. Admirals Club Nova Iorque (JFK);
11. Voo American Airlines 1 JFK/LAX;
12. Aluguel de carro em Los Angeles;
13. Residence Inn Beverly Hills;
14. Hotel Crowne Plaza LAX;

Crowne Plaza LAX
Diária: US$ 107.54
Check-in: Sábado, 26 de outubro de 2013
Check-out: Domingo, 27 de outubro de 2013
Quarto: 1614 (club level suite)

Pra completar os requisitos das promoções do Marriott Rewards e do IHG Rewards  não tinha outro jeito, ia ter que mudar de hotel praticamente todas as noites.

A promoção do IHG exigia que eu tivesse duas estadias em sábados e que experimentasse três marcas diferentes da rede. Ia encaminhar duas dela com uma estadia só.

Como tinha um voo na manhã seguinte super cedo, optei por um hotel que ficasse colado ao aeroporto para poder dormir um pouco mais.

Minha tática era chegar, fazer o check in, deixar as malas e ir devolver o carro, que era ali perto. Depois voltar pro hotel e dormir até a hora de ir para o aeroporto.

Não ia precisar do carro mesmo, já que o hotel conta com um shuttle 24 horas e sai a cada 15 minutos. Eis a fachada do hotel:

271

Chegando no lobby eis a fila para o check-in:

274

Felizmente existe uma fila dedicada para os membros Platinum do IHG Rewards, olhem a diferença:

275

Como cortesia a atendente falou que eu tinha recebido um upgrade para um quarto no andar executivo. O andar é diferente dos outros até no acabamento das paredes:

294

Para chegar no 16o. andar é necessário colocar a chave no elevador antes, se não ele não sobe até lá. Infelizmente, como era domingo o lounge, que fica no andar, estava fechado. Também não ia poder aproveitar o café da manhã lá, eis que tinha que estar no aeroporto super cedo. Paciência, eis os horários do lounge:

276

Mas vamos ao que interessa, como é o quarto:

277

Eis a visão de quem entra no quarto:

279

A cama é super confortável, dormi muito bem nela:

280

Em cima dela um kit de produtos que ajudam a induzir e melhorar a qualidade do sono, achei bem legal:

289Em frente à cama está a televisão:

281

E logo abaixo, embutido no móvel da televisão há uma porta onde estão o frigobar e uma cafeteira:

282

Ao lado uma escrivaninha:

283

E perto da janela uma área de leitura:

284

Ao lado da entrada fica o banheiro:

286 287

O chuveiro é excelente, mas essa mania dos hotéis americanos em colocar cortinas…

E aqui um close no excelente amenity kit do hotel, com produtos da marca Temple Spa:

288

Pra mim o principal atrativo era a vista do quarto, onde eu podia ver os pousos no LAX:

285

O segundo melhor atrativo era a velocidade da internet (grátis para todos membros do IHG Rewards):

300

Apesar da minha passagem pelo hotel ter sido curtíssima, eu fiquei muito bem impressionado com ele. Como vocês verão, depois desta estadia eu eu fiquei em outros dois hotéis perto do aeroporto e este é sem sombra de dúvidas o meu indicado se você tiver que ficar por ali.

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto direito superior ou aqui embaixo).

Trip Report: American Airlines Challenge – Residence Inn Beverly Hills

1. Introdução;
2. Busca das passagens;
3. Busca de hotéis;
4. Voo Avianca 6261 FLN/GRU;
5. Centurion Lounge Guarulhos (GRU);
6. Sala Vip Diners Club Guarulhos (GRU);
7. Admirals Club Guarulhos (GRU);
8. Sala Vip Smiles Guarulhos (GRU);
9. Voo American Airlines 950 GRU/JFK;
10. Admirals Club Nova Iorque (JFK);
11. Voo American Airlines 1 JFK/LAX;
12. Aluguel de carro em Los Angeles;
13. Residence Inn Beverly Hills;

Residence Inn Beverly Hills
Diária: US$ 229,98
Check-in: Sexta, 25 de outubro de 2013
Check-out: Sábado, 26 de outubro de 2013
Quarto: 534 (one bedroom suite)

Resolvido o problema do transporte atravessei a cidade de Los Angeles para chegar no Residence Inn Beverly Hills, hotel que faz parte da rede Marriott.

Como disse no post sobre a reserva de hotéis, eu precisava de mais três estadias para ganhar dois certificados de uma noite o que além de ser fácil á bastante vantajoso.

184

No check-in fui informado que devido ao meu status Platinum com o Marriott Rewards eu tinha recebido um upgrade no quarto de cortesia. Solicitei (e recebi) um late check out para ficar com o quarto até as 15h do dia seguinte. Como welcome gift pelo status eu escolhi receber pontos extra.

186
Minha mala esperando na fila

 

Todo o processo não demorou mais do que 10 minutos, incluindo a espera. Peguei o elevador e rumei ao quarto 534:

187 188 189 191

Como era a minha primeira estadia em um Residence Inn não tinha a menor ideia do que iria encontrar, mas foi uma grata surpresa:

192

193 194 195 196 197 198 200

199

Os amenities era da marca Paul Mitchell

O quarto era enorme e continha uma cozinha completa, sala de estar, quarto e banheiro. Pelo que eu pesquisei a rede se presta a atender viajantes que precisam ficar no hotel por longos períodos, por isso ela tem toda essa estrutura, mas não sei dizer como são os quartos normais.

A internet, grátis para os membros Platinum era bem rápida e deu pra botar ordem nas pendências do dia.

203

A cama era excelente e depois de um bom banho foi difícil sair dela pra ir comer.

Utilizei o valet-parking para guardar o carro e como em tudo em Beverly Hills saiu o olho da cara: US$ 27,00 a diária, mas o serviço foi bem atencioso.

No dia seguinte desci para um farto café da manhã tipicamente americano, com hamburgueres, ovos mexidos, cereais, iogurtes, frutas, máquina de waffles, baguels, café, sucos (artificiais) e refrigerantes. Vejam as fotos:

246 247 248 250 249

 

Depois sai para fazer umas voltas e retornei ao hotel perto das 14h para arrumar as coisas e seguir rumo ao próximo hotel. Subi até o quinto andar e quando fui abrir a porta, percebi que a chave não estava funcionando. Depois de várias tentativas constatei o óbvio: a chave não tinha sido corretamente programada.

Solicitei a um funcionário que passava para que ligasse para a recepção pedindo que alguém subisse para me trazer uma chave nova. Depois de 20 minutos esperando, renovei o pedido já irritado com a demora. E esperei mais 10 minutos até que alguém aparecesse.

Sei que parece bobagem, mas se o hotel concede esse benefício ele tem que ter o cuidado de programar as chaves de acordo. E se um problema ocorrer, deve ser resolvido de maneira mais rápida.

Comentei sobre o ocorrido no twitter (sigam @areadeemb) e a Marriott falou que iria encaminhar a situação à gerência do hotel, que poucos dias depois entrou em contato para se desculpar, dizendo que iriam depositar 20.000 pontos na minha conta (o que eu nem havia pedido). Achei que eles lidaram de forma exemplar com o ocorrido e a má impressão ficou completamente desfeita.

Dito isto, o hotel, apesar de caro, foi aprovado com louvor, assim como a região. Se quer ficar em Los Angeles, procure ficar por ali ou perto da Hollywood Boulevard. Dali todos os pontos de interesse turístico estão a poucos minutos.

Este post deve ser publicado no dia 25/12/2013. Neste caso renovo aqui os votos de ontem, de um Feliz Natal a todos vocês. Espero que a festa tenha sido boa e os presentes melhores ainda. Amanhã a saga continua.

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto direito superior ou aqui embaixo).

Trip Report: American Airlines Challenge – Aluguel de carro em Los Angeles

1. Introdução;
2. Busca das passagens;
3. Busca de hotéis;
4. Voo Avianca 6261 FLN/GRU;
5. Centurion Lounge Guarulhos (GRU);
6. Sala Vip Diners Club Guarulhos (GRU);
7. Admirals Club Guarulhos (GRU);
8. Sala Vip Smiles Guarulhos (GRU);
9. Voo American Airlines 950 GRU/JFK;
10. Admirals Club Nova Iorque (JFK);
11. Voo American Airlines 1 JFK/LAX;
12. Aluguel de carro em Los Angeles;

As locadoras de automóveis do aeroporto internacional de Los Angeles ficam todas em pátios fora do aeroporto. Ao sair do desembarque, basta procurar o ônibus com a logo da locadora que você procura.

Eu tinha uma reserva pré-paga com a Hertz e em questão de minutos estava no guichê de atendimento deles. Tudo corria bem e seguia dentro da normalidade. Me pediram o cartão de crédito para cobrir eventuais gastos extra e a carteira de motorista do Brasil. Entreguei o cartão junto com minha permissão internacional de dirigir, que nada mais é do que um documento oficial emitido pelo Detran contendo a transcrição da sua CNH em várias línguas. Eis algumas imagens dela:

pid (1) PID

Foi quando a coisa desandou. A atendente falou que a PID sozinha não seria suficiente e é óbvio que eu não tinha trazido a minha CNH (um documento a mais para eu perder, pensei).

Chamei o supervisor, argumentei que inclusive a Hertz da Geórgia exigia que o documento apresentado fosse a PID e que naquele estado eu tinha alugado um carro somente com ela, mas o supervisor falou que as leis da Califórnia são diferentes. Não teve jeito, não iam alugar o carro.

Tudo bem, mesmo com todo planejamento do mundo imprevistos sempre podem acontecer em viagens e graças a Deus isso nunca me abate. Se você já está numa situação ruim, ficar desesperado só vai torná-la pior. A melhor coisa a se fazer é sentar e com calma avaliar as opções para resolver o problema.

Em primeiro lugar, liguei para o Brasil e pedi para me enviarem a CNH o mais rápido possível, já que tinha outras duas locações agendadas com a Hertz.

Mas ainda precisava me locomover por dois dias em Los Angeles. E o meu hotel ficava longe do aeroporto. Táxi seria uma saída, mas eu ia gastar um bom dinheiro andando pra lá e pra cá.

Eis que avisto a seguinte placa logo em frente à Hertz:

173

Solução para os meus problemas: International Driver’s License & Under 25 OK. Brilhante o marketing dos caras, embora não tenha bem certeza de que isso é legal.

As fotos do ambiente falam por si sós:

174 177 176 175

 

Confesso que deu medo de passar o cartão de crédito ali, mas como não tinha muita opção, toquei ficha (e no final correu tudo bem).

Depois de preencher os formulários padrão sai dali contentíssimo com um Corolla branco que já viu dias melhores rumo a Beverly Hills.

179

Se eu não fiz nada errado e o Word Press não me sacanear, este post vai ao ar na véspera de Natal. Então aproveito para desejar para vocês e suas famílias um Feliz Natal. Amanhã tem mais!

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto direito superior ou aqui embaixo).

Trip Report: American Airlines Challenge – Voo American Airlines 1 JFK/LAX

1. Introdução;
2. Busca das passagens;
3. Busca de hotéis;
4. Voo Avianca 6261 FLN/GRU;
5. Centurion Lounge Guarulhos (GRU);
6. Sala Vip Diners Club Guarulhos (GRU);
7. Admirals Club Guarulhos (GRU);
8. Sala Vip Smiles Guarulhos (GRU);
9. Voo American Airlines 950 GRU/JFK;
10. Admirals Club Nova Iorque (JFK);
11. Voo American Airlines 1 JFK/LAX;

 American Airlines Voo AA-1
Nova Iorque (JFK) – Los Angeles (LAX)
Quinta, 25 de outubro de 2013
Partida: 09:10
Chegada: 12:20
Duração: 5h45min
Milhas: 2475
Aeronave: Boeing 767-200
Assento: 38G  (classe econômica)

Map

Logo após descer do Admirals Club junto ao portão de embarque 42, já podia ver o Boeing 767-200 com a pintura clássica da American Airlines.

143

Apesar de aprovar a pintura da nova American eu sou fã do estilo clássico com corpo em metal polido. Uma das razões para adotar a nova pintura é que os novos aviões não usam mais metal na sua estrutura externa mas sim compostos de liga leve que não são prateados. Então é necessário pintar de alguma cor e a American aproveitou o embalo e refez todo seu branding.

Logo na porta de entrada vi algo que me deixou bastante contente: wi fi a bordo.

156

Nos voos domésticos a American tem uma parceria com a empresa GoGo Air que fornece a internet a bordo. Os planos são os seguintes:

168

169

Como ia passar os próximos dias praticamente vivendo dentro de um avião, resolvi comprar o American Traveler Pass, que permite o uso ilimitado durante um mês. Interessante notar que este plano não vale para os voos internacionais e é necessário cancelar se desejar parar de usar, caso contrário a cobrança virá no cartão de crédito todos os meses.

Obviamente que eu não sabia disso e a cobrança veio no mês seguinte, mas em uma rápida ligação consegui o estorno do valor.

Ao entrar na aeronave em direção à classe econômica, passei pela primeira classe doméstica, que estava lotada.

157

Como fui um dos últimos a entrar, tive bastante trabalho para chegar ao meu assento, o 38G.

158

O espaço pra pernas era do mesmo nível se encontra nos voos aqui no Brasil:

160

Por sorte não havia ninguém sentado ao meu lado e como o encosto de braço é rebatível, ficou bem confortável. Apesar do voo estar bem cheio o embarque foi eficiente e o avião decolou com antecedência de 4 minutos ao horário previsto, às 09:06.

Como regra nos voos domésticos nas maiores cias  americanas (United, Delta e American) todas as refeições na classe econômica são pagas, sendo oferecidos gratuitamente bebidas não alcoólicas.

165

Quando me interessei pelo menu de refeições, só restavam três opções bem fraquinhas e decidi esperar para comer em solo.

Como entretenimento de bordo haviam somente tevês no teto passando programas produzidos pela American, filmes e alguns seriados. O meu verdadeiro entretenimento foi o iphone, então nem prestei atenção nisso. A velocidade era fraca, mas dava pra acessar e mandar emails e olhar o twitter e o instagram – sigam @areadeemb 😉

171

Durante o voo as comissárias passaram duas vezes oferendo bebidas, sendo que entre essas duas vezes ainda passaram uma bandeja com suco de laranja e água. Em todas as vezes que interagi com as comissárias elas foram simpáticas.

No meio do voo aconteceu algo que nunca havia presenciado a bordo: um senhor passou mal e foi necessário chamar os médicos a bordo para prestar atendimento:

164

Por sorte não aconteceu nada de mais grave e ele se restabeleceu.

O tempo passou rápido com a internet a meu favor e quando vi já estávamos descendo para aterrizar em Los Angeles.

201

O pouso se deu às 11:58, 22 minutos antes do previsto. Com as 2475 milhas deste voo eu tinha ultrapassado as 6.000 milhas que o desafio exigia para atingir o AAdvantage Gold.

Só não sabia se o status iria entrar no sistema antes do meu próximo voo para receber o bônus de 25% nas milhas recebidas (que não contam para obtenção de status).

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto direito superior ou aqui embaixo).

Trip Report: American Airlines Challenge – Admirals Club Nova Iorque (JFK)

1. Introdução;
2. Busca das passagens;
3. Busca de hotéis;
4. Voo Avianca 6261 FLN/GRU;
5. Centurion Lounge Guarulhos (GRU);
6. Sala Vip Diners Club Guarulhos (GRU);
7. Admirals Club Guarulhos (GRU);
8. Sala Vip Smiles Guarulhos (GRU);
9. Voo American Airlines 950 GRU/JFK;
10. Admirals Club Nova Iorque (JFK);

Depois da longa espera para passar pela imigração segui para outra fila para passar pela alfândega. Ela seria maior se eu ainda tivesse que esperar pela minha mala, mas como bom aprendiz a essa altura já sabia que despachar mala em mileage run é proibido (com tantas conexões em um curto espaço de tempo, qualquer imprevisto seria um grande transtorno).

Depois de responder um punhado de perguntas padrão saí da área segura e subi dois andares até o piso de embarques domésticos para enfrentar uma nova fila: a do raio x.

O procedimento demorou cerca de 15 minutos e logo ao entrar na área segura eu já avistei a placa indicando o Admirals Club:

118

O lounge fica no mezanino do terceiro andar, acessível através de escadas ou elevadores. Cansado, optei pelo elevador. Olhem o detalhe do botão personalizado que leva ao lounge:

120

Ele funciona diariamente das 04:30 às 23:30. Apresentei meu cartão de embarque e o The Platinum Card e fui rapidamente admitido.

121 122

Vejam como é o salão principal:

135 134 133

Ao longo da sala há ainda diversos espaços menores nas laterais. Do outro lado, perto da janela há um business center com computadores e impressoras.

132 131

Após essa rápida visita de reconhecimento, retornei à recepção para solicitar o uso do chuveiro e havia um disponível imediatamente.

128 127 126 125 123

Renovado após um bom banho e com roupas limpas, retornei ao lounge para ver as opções de café da manhã, que se resumiam ao que se vê nesta foto:

130

Não eram muitas e o croissant estava gelado mas atitude poliana: podia não ter nada. Pelo menos havia um suco de laranja e café.

Depois do desjejum aproveitei a internet wi fi gratuita e liguei para o Brasil pelo para avisar que tinha chegado bem.

A essa hora o sol já estava alto e do lounge eu tinha uma linda vista do pátio de aeronaves:

138

Como meu voo seguinte era do outro lado do aeroporto, saí do espaço com bastante antecedência, já que existe um outro Admirals Club bem em frente ao portão de onde sairia meu voo.

144

Novamente o botão personalizado chamou minha atenção:146

Na recepção bastou dizer que já tinha sido admitido no outro lounge para me deixarem entrar.147

O layout deste lounge é cheio de nichos espalhados pelo espaço. Logo na entrada havia mesas para sentar, que ficavam em frente ao bar. 148

No bar são oferecidas gratuitamente bebidas não alcoólicas como refrigerantes e sucos e também algumas bebidas alcoólicas como vinho e cerveja.149

Assim como no outro Admirals Club as opções de café da manhã estavam servidas:151

Logo a frente havia uma lanchonete que vendia lanches pagos.153

Ao lado estava o espaço kids:154

A essa altura eu já estava com o tempo contado para voltar ao portão de embarque, encerrando por aqui minha visita ao Admirals Club do portão 42 do JFK.

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto direito superior ou aqui embaixo).

Viagem de fim de ano

Hoje embarco para mais uma viagem, para fechar com chave de ouro um ano de viagens fantásticas.

No itinerário está um país que é minha segunda casa, outro que conheço muito bem e um completamente desconhecido e exótico, palpites?

Além disto vou conhecer o serviço internacional de uma cia aérea que quase não tem relatos na web. Ou seja, podem esperar um trip report caprichado quando voltar.

Até lá deixei programados alguns posts sobre o atual trip report que vão entrar diariamente se Deus e o WordPress quiserem. Não são em número suficiente para cobrir todas as minhas férias, mas tentarei usar as horas em voo para dar conta do recado. Se não der, retomo quando voltar.

É pouco provável que eu entre aqui para adicionar novos posts, por isso siga o área de embarque no twitter e no instagram (@areadeemb), onde vou estar postando com mais frequência.

Desejo a todos um excelente restinho de 2013 e um 2014 melhor ainda. Um abraço e boas viagens!

 Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto direito superior ou aqui embaixo).

Trip Report: American Airlines Challenge – Voo American Airlines AA-950 GRU/JFK

1. Introdução;
2. Busca das passagens;
3. Busca de hotéis;
4. Voo Avianca 6261 FLN/GRU;
5. Centurion Lounge Guarulhos (GRU);
6. Sala Vip Diners Club Guarulhos (GRU);
7. Admirals Club Guarulhos (GRU);
8. Sala Vip Smiles Guarulhos (GRU);
9. Voo American Airlines 950 GRU/JFK;

Map

American Airlines Voo AA-950
Guarulhos (GRU) – Nova Iorque (JFK)
Quinta, 24 de outubro de 2013
Partida: 22:15
Chegada: 06:15 (+1)
Duração: 9h13min
Milhas: 4745
Aeronave: Boeing 777-300 ER
Assento: 33J (preferred seat)

Depois da overdose de posts sobre lounges e salas vip finalmente chega a hora de falar do Boeing 777-300 ER que a American Airlines utiliza na rota São Paulo – Nova Iorque.

Saí da sala vip com aproximadamente 40 minutos de antecedência ao voo, rumo ao portão 22. Já haviam embarcado os passageiros das classes premium e membros elite. A fila era para os diversos grupos da classe econômica.

097

Como tinha pago por um assento preferencial, tive acesso no primeiro grupo a embarcar, o que pode ser útil se você estiver viajando com bagagem de mão e precisa encontrar espaço nos compartimentos de bagagem.

100

Não me importei com a fila na ponte de embarque, pois dali eu já podia ver a beleza que é este avião:

099

O 777-300 ER da American possui três classes de serviço: econômica, executiva e primeira classe, sendo que a econômica possui um setor chamado main cabin extra com mais espaço entre as poltronas. Não chega a ser uma econômica premium, como existe na Turkish, por exemplo, porque o serviço é o mesmo da econômica normal.

Entrando no avião, direita volver, rumo à classe econômica. Para chegar lá foi preciso passar pela classe executiva, onde os passageiros ainda se acomodavam:

101

Aqui numa foto de divulgação, onde é possível ver melhor as poltronas que reclinam 180 graus:

773bus_class_bed_lg

E agora a classe econômica, onde todos os assentos possuem telas de entretenimento tomadas individuais.

102

Dentro da classe econômica propriamente dita, você pode ainda pagar pelos assentos preferenciais (preferred seats), que nada mais são que assentos nas saídas de emergência, primeira fileira e outros que tem mais espaço e eu optei pelo assento 33J:

103

Bastante espaço para esticar as pernas:

105

Mas notem que as pernas acabam ficando no corredor, onde passam os carrinhos de serviço. Depois de avaliar a situação, pedi para trocar de assento e fui para um que ficava na primeira fileira.

Ainda em solo era possível utilizar a tela de entretenimento, o que é ótimo pois ajuda a passar o tempo até o embarque ser encerrado.

106

Apesar da aeronave contar com wi fi a bordo, o serviço não estava disponível naquele dia (no mesmo avião na volta o serviço estava ativo).

110

Encerrado o embarque, o avião decolou as 22:06, nove minutos antes do horário previsto. Aproximadamente uma hora depois foi iniciado o serviço de jantar. As opções eram as indefectíveis pasta ou carne. Optei pela segunda:

111

Esqueci de abrir a quentinha para bater a foto, mas era um ensopado de carne acompanhado de arroz que estava razoável. Para acompanhar pedi vinho tinto, que também estava ok:

112

O serviço foi completamente indiferente e acho que durante todo o voo não vi nenhum comissário dar um sorriso sequer.

Depois do jantar resolvi assistir ao filme O Grande Gatsby, mas a combinação cansaço do dia corrido, vinho tinto e filme ruim foi certeira: dormi da meia noite até iniciarem o serviço de café da manhã, que veio assim:

117

A essa altura já estávamos quase chegando ao aeroporto John Fitzgerald Kennedy:

115

O pouso foi suave e com bastante antecedência ao horário programado: chegamos às 05:37 (38 minutos antes). Infelizmente essa antecipação nos deixou presos na aeronave por quase meia hora, já que a alfândega só abre as 6 da manhã.

O sistema de entretenimento funcionou durante os primeiros 10 minutos em solo, mas depois foi desligado completamente. Só restou esperar.

A fila na imigração estava terrível. A sorte é que eu tinha uma conexão e pude esperar numa outra fila menor. Mesmo assim fiquei lá por 45 minutos.

Olhando o voo como um todo, achei o hard product (o avião em si) fantástico. O avião é muito bom e passou incólume a qualquer turbulência durante todo o trajeto. Como destaque vejo o sistema de entretenimento que é muito bem servido de opções de filmes e programas de tevê.

Como pontos onde a American precisa melhorar está sem dúvida nenhum na atitude dos seus comissários. Não adianta nada agradecer pela preferência com voz de robô se isso não é demonstrado em atitudes simples como sorrir para os passageiros ou pedir licença ao passar com o carrinho.

Se você quiser voar com o 777-300 ER da American, basta procurar pelos voos 950 e 951 (ida e volta). Se não houver nenhum imprevisto que obrigue a troca de equipamento, estes são os números dos voos com o novo avião nesta rota.

O novo avião também está na rota São Paulo – Dallas (voos 962 e 963) e a partir de novembro de 2014 também fará a rota São Paulo – Miami.

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto direito superior ou aqui embaixo).

Trip Report: American Airlines Challenge – Sala Vip Smiles Guarulhos (GRU)

1. Introdução;
2. Busca das passagens;
3. Busca de hotéis;
4. Voo Avianca 6261 FLN/GRU;
5. Centurion Lounge Guarulhos (GRU);
6. Sala Vip Diners Club Guarulhos (GRU);
7. Admirals Club Guarulhos (GRU);
8. Sala Vip Smiles Guarulhos (GRU);

060

Como tinha bastante tempo até a hora do voo, resolvi passar na sala vip do Smiles, que fica em frente ao Admirals Club. A sala é uma herança da Varig que utilizava o mesmo espaço e ainda está presente em diversos itens, como copos e talheres.

061

062

Quem tem acesso:

  • Clientes Smiles categorias Ouro e Diamante, voando Gol;
  • Passageiros voando na classe confort da Gol;
  • Associados Priority Pass, Airport Angel e Club Card;
  • Portadores do cartão de crédito Mastercard Smiles Platinum;
  • Portadores do cartão de crédito Diners (há controvérsias sobre ter que pagar ou não pelo acesso);
  • Passageiros voando nas classes executiva e primeira classe nas cias conveniadas como TAP, TAAG, Delta, Lufthansa, Qatar, Emirates, dentre outras.

Clientes Smiles Prata também podem acessar pagando:
R$ 40,00 (sala de voos domésticos)
US$ 40.00 (sala de voos internacionais)

Cliente Smiles pagam um pouco mais caro:
R$ 45,00 (sala de voos domésticos)
US$ 45.00 (sala de voos internacionais)

Sinceramente pagar mais caro para acessar a mesmíssima sala além de ser totalmente ilegal chega a ser indecente. Que se coloque um preço pelo serviço e ponto final.

Logo após a entrada, à direita, existe um guarda volumes aberto, sem nenhuma vigilância. Enquanto a ideia de um guarda volumes me agrada bastante, o fator segurança pesou e segui com minha mala.

064

Anexo ao guarda volumes há um balcão com telefones (?) e em frente uma sala reservada com diversas poltronas.

065 066

Logo ao lado há uma sala de teve:

067O salão principal é bastante amplo e conta com um bom número de lugares para sentar. Nunca tive de ficar em pé lá, como aconteceu no Admirals Club.

068 078 077 076As opções de comes e bebes são bem mais limitadas:

073 070 071 075Há também uma máquina da Nescafé que prepara bebidas quentes:

072E uma curiosíssima geladeira com sachês de caipirinhas de diversos sabores:

074

Em nome da ciência provei o sabor piña colada e não era ruim não, viu? Acho que o Fred (jogador do Fluminense) aprovaria.

079

A sala conta ainda com banheiros equipados com chuveiros, jornais e revistas das cias aéreas que utilizam a sala, um diminuto espaço kids e acesso à internet via wi fi por duas horas (mas se você for ficar mais tempo as atendentes dão outra senha sem problemas).

069

 Caso você saia da sala sem ter completado as duas horas de navegação e estiver em qualquer hot spot VEX, a senha ainda é válida até completar o tempo. O período de duas horas é contado corrido.

A sala poderia ter uma renovada, já que praticamente não mudou desde os tempos da Varig, mas é inegável que ela ainda atende bem ao que se propõe: proporcionar um espaço calmo e agradável para aguardar o voo.

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto direito superior ou aqui embaixo).

Kit de boas vindas do AAdvantage Platinum

Ontem eu contei para vocês sobre o kit de boas vindas do Smiles Gold que chegou pra mim pelos Correios. Hoje eu venho contar sobre um outro kit que chegou ontem.

Como vocês sabem eu estou no meio de um trip report sobre a minha busca pelo status Executive Platinum no AAdvantage, programa de fidelidade da American Airlines.

O desafio era completar 30.000 milhas até o final do ano, mas ao completar 6.000 milhas eu já atingiria o status Gold (que normalmente exige 25.000 milhas) e com 12.000 milhas atingiria o status Platinum (que normalmente exige 50.000 milhas).

Como a viagem foi rápida não esperava que os cartões intermediários chegassem aqui em casa. O Gold, por exemplo, nem sinal. Mas o kit do cartão Platinum chegou:DSCN0205

Dentro um folder contendo o cartão e seus principais benefícios e também oito certificados para reconhecer quando um funcionário da American fizer um serviço excepcional. Acho muito legal esse estimulo à meritocracia e com certeza vou levar na próxima viagem. Tomara que use todos.DSCN0207

Abrindo o folder uma pequena mensagem personalizada assinada por Suzanne Rubin, presidente do programa AAdvantage e o cartão físico.

DSCN0208

Gostei bastante de receber o kit, principalmente pela rapidez com que chegou. O Smiles poderia aprender uma lição ou duas aqui.

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto superior esquerdo ou direito).