American Express inaugura novo lounge no Aeroporto de Ezeiza – Buenos Aires

Quando voei pela Aerolíneas Argentinas para Miami no final do ano passado noticiei no Instagram que a nova sala vip da American Express ia mudar de lugar e que seria inaugurada em breve.

Pois li no blog Points Summary, o qual recomendo a leitura, que ela já está operando, o que é uma excelente notícia para quem tem viagem marcada para Buenos Aires (meu caso). As fotos são todas do blogueiro Jamison, que gentilmente cedeu para que eu pudesse contar a novidade em português:

centurioneze1centurioneze2centurioneze3centurioneze5centurioneze7centurioneze8centurioneze9centurioneze10centurioneze11centurioneze12centurioneze13centurioneze14centurioneze15centurioneze16centurioneze17centurioneze18centurioneze19centurioneze20

Achei a decoração sensacional, na mesma pegada das novas salas que abriram em Las Vegas e Dallas. O espaço parece ser bem maior que a anterior. As opções de comida e bebida que parecem não ter mudado, uma crítica que o Jamison fez ao espaço.

Mês que vem eu confiro a sala pessoalmente e conto aqui como foi.

Fonte: Points Summary

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto esquerdo ou direito superior).

Trip Report: American Airlines Challenge – Conclusão

1. Introdução;
2. Busca das passagens;
3. Busca de hotéis;
4. Voo Avianca 6261 FLN/GRU;
5. Centurion Lounge Guarulhos (GRU);
6. Sala Vip Diners Club Guarulhos (GRU);
7. Admirals Club Guarulhos (GRU);
8. Sala Vip Smiles Guarulhos (GRU);
9. Voo American Airlines 950 GRU/JFK;
10. Admirals Club Nova Iorque (JFK);
11. Voo American Airlines 1 JFK/LAX;
12. Aluguel de carro em Los Angeles;
13. Residence Inn Beverly Hills;
14. Hotel Crowne Plaza LAX;
15. Admirals Club LAX;
16. Voo American Airlines 1290 LAX/MIA;
17. Admirals Club MIA;
18. Voo American Airlines 217 MIA/ASU;
19. Voo American Airlines 218 ASU/MIA;
20. Hotel Holiday Inn Miami International Airport;
21. Voo American Airlines 1449 MIA/SFO;
22. Admirals Club SFO;
23. Voo American Airlines 1521 SFO/DFW;
24. Centurion Lounge Dallas (DFW);
25. Voo American Airlines 1316 DFW/MIA;
26. Hotel Marriott Miami Airport;
27. Voo American Airlines 1682 MIA/MCO;
28. Voo American Airlines 244 MCO/LAX;
29. Alugando um carro em Los Angeles – parte 2;
30. Hotel Renaissance LAX;
31. Hotel Holiday Inn Express LAX;
32. The Platinum Card Lounge – Staples Center;
33. Voo American Airlines 4 LAX/JFK;
34. Voo American Airlines 951 JFK/GRU;
35. Voo Avianca 6260 GRU/FLN;
36. Conclusão.

Ufa, chegamos ao fim do maior trip report que eu já vi por aí. Trinta e seis dias postando um pequeno trecho da viagem não é mole, não. Cheguei a pensar em abreviar um pouco o relato, mas existe tão pouca informação em português sobre vários dos itens que cobri que achei melhor postar tudo.

Escrever sobre algo que vivemos é reviver aquele momento e posso dizer que foi cansativo relembrar  desses 13 dias de viagem, onde voei 32.648 milhas, a bordo de 14 voos (sendo dois internacionais e quatro transcontinentais) e me hospedei em 5 hotéis inéditos.

Conheci ainda 6 Admirals Clubs, 1 Centurion Lounge e 1 American Express Platinum Lounge, sem contar as já conhecidas salas de Guarulhos (Centurion, Diners e Smiles).

Olhando como um todo eu só posso classificar a viagem como um sucesso, já que o objetivo maior foi alcançado e o cartão do Executive Platinum já chegou (posto as fotos do envelope e do conteúdo em breve).

De quebra ganhei quase 60.000 milhas no AAdvantage (por conta dos bonus das categorias), duas noites grátis na rede Marriott e quase 140.000 pontos no IHG Rewards.

Como tive pouco tempo para preparar essa viagem relevo alguns erros que cometi no planejamento, como não ter programado para chegar em Los Angeles já tendo superado a marca de 6.000 milhas voadas (número necessário para atingir o status Gold no AAdvantage durante o desafio), o que aumentaria minhas chances de upgrade desde a primeira parada.

Deveria ter me informado melhor sobre as leis da Califórnia, que não aceita somente a permissão internacional para dirigir (PID), é preciso levar a carteira de motorista. E aprendi que nenhum serviço de encomendas expressa trabalha no final de semana no Brasil (Fedex, DHL, UPS).

De uma maneira bem intensa eu tive um instantâneo da situação atual da Nova American, onde voei 12 trechos. Pude ver tanto a frota antiga como parte da nova. Acho sinceramente que a companhia está no caminho certo e as novas aeronaves são fantásticas.

Não tenho o menor medo em cravar que o 777-300 ER é a melhor forma de viajar do Brasil para os Estados Unidos de forma direta. Foi um acréscimo e tanto para nós, único país a receber duas rotas (Dallas e Nova Iorque) com o novo avião.

Pude constatar também a diferença que faz ter internet a bordo e só tenho a lamentar que isso seja um sonho distante no Brasil. Tenho certeza que as pessoas pagariam por este serviço.

Por fim foi muito bom ver que mesmo depois dessa maratona de voos, dias após a minha chegada eu já estava com vontade de voar de novo. É inegável que voar é a minha grande paixão. Por isso aguardem que em breve eu vou dar início ao trip report da viagem que fiz no final do ano passado. Conteúdos inéditos não só em português mas no mundo inteiro.

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto direito superior ou aqui embaixo).

Trip Report: American Airlines Challenge – Centurion Lounge Dallas (DFW)

1. Introdução;
2. Busca das passagens;
3. Busca de hotéis;
4. Voo Avianca 6261 FLN/GRU;
5. Centurion Lounge Guarulhos (GRU);
6. Sala Vip Diners Club Guarulhos (GRU);
7. Admirals Club Guarulhos (GRU);
8. Sala Vip Smiles Guarulhos (GRU);
9. Voo American Airlines 950 GRU/JFK;
10. Admirals Club Nova Iorque (JFK);
11. Voo American Airlines 1 JFK/LAX;
12. Aluguel de carro em Los Angeles;
13. Residence Inn Beverly Hills;
14. Hotel Crowne Plaza LAX;
15. Admirals Club LAX;
16. Voo American Airlines 1290 LAX/MIA;
17. Admirals Club MIA;
18. Voo American Airlines 217 MIA/ASU;
19. Voo American Airlines 218 ASU/MIA;
20. Hotel Holiday Inn Miami International Airport;
21. Voo American Airlines 1449 MIA/SFO;
22. Admirals Club SFO;
23. Voo American Airlines 1521 SFO/DFW;
24. Centurion Lounge Dallas (DFW);

Como meu voo anterior chegou no portão C-8 e meu próximo voo partiria do portão D-31 precisava mudar de terminal. Em Dallas o trajeto pode ser feito pelo “Skytrain” e em poucos minutos eu estava no terminal D.

Combinação perfeita para a minha visita ao Centurion Lounge recém inaugurado da American Express, já que ele fica próximo ao portão D-17. Poderia aguardar meu voo com tranquilidade, sabendo que estava a 5-10 minutos do meu portão de partida.

A American Express vem mudando a sua política com relação a lounges em aeroportos. As antigas parcerias com a American Airlines, US Airways vão acabar em março e a com a Delta vem perdendo benefícios (não será mais possível entrar com acompanhantes).

Para repor essas perdas a Amex pretende lançar lounges próprios nos principais aeroportos dos Estados Unidos. Os dois primeiros são os de Las Vegas e o de Dallas mas já há previsão de um novo em São Francisco neste ano.

Logo que desci a escada rolante foi fácil encontrar o lounge. Logo depois desta placa:

551

Se você olhar para a direita, vai ver essa caixa de vidro e alumínio (na verdade o formato do lounge é em L):552

Eis o Centurion Lounge!

553

O acesso se dá por meio de uma escada rolante na colada à caixa de vidro:

 

 

554

Assim que você chega no segundo andar você dá de cara com esse painel:

555

Aí é só virar à direita e você estará de frente para a recepção, que tem atrás um mural de plantas vivas.

556

A sala funciona diariamente das 05:30 as 22:00 e o acesso é gratuito aos portadores do The Platinum Card e Centurion Card com até dois acompanhantes. Os portadores dos demais cartões podem acessar mediante o pagamento de US$50. Além disso menores de 18 anos acompanhados tem o acesso liberado.

E por gratuito eu quis dizer realmente gratuito. Tudo que eu usei, comi e bebi custou zero. Certamente pagaria os US$50 se este fosse o caso, vejam por vocês mesmos:

Logo na recepção agendei uma massagem no spa e pedi para usar um dos dois chuveiros. Como a sala era recém lançada já havia um disponível no momento.

571

O espaço do chuveiro é bem grande:

 

559

E conta inclusive com uma cadeira para pessoas com dificuldade de locomoção poderem tomar seu banho:
566568

Aqui um close no chuveiro que tinha uma pressão excelente:

567

Todos os produtos oferecidos no banheiro são da L’Occitane:

563

Aqui o kit para o banho em si:

561

O kit continha shampoo, condicionador, sabonete líquido e hidratante:

562

Depois do banho fui fazer a barba e escovar os dentes. Tinha trazido os meus produtos, mas a escova, pasta de dente e enxaguante bucal estavam disponíveis:564

Haviam ainda uma toca e um kit com algodão e cotonetes:

565

Aqui a pia numa visão mais afastada:

557

Na diagonal oposta estava o vaso sanitário:

558

Fiquei realmente impressionado com o banheiro. Parecia que estava num hotel cinco estrelas e não em um lounge de aeroporto. Nota 10.

Saí dali renovado e empolgado para conhecer o que mais o lounge tinha a oferecer. Para isso deixei minha carry on no guarda volumes que existe adjacente à entrada (ótima ideia) e fui até o setor do bufê:

572

No caminho, várias opções para sentar:

573

574

Naquela tarde/noite as opções do bufê eram saladas variadas:

577

Nachos e seus acompanhamentos:

578

Tortilhas e um “barbecue brisket” (carne desfiada ensopada ao molho barbecue), delicioso por sinal:

579

O cardápio muda de acordo com a hora do dia e foi preparado pelo chef local Dean Fearing.

A carta de drinques não fica atrás e teve a curadoria do mixologista Jim Meehan do renomado PDT de Nova Iorque. De largada pedi um Smoky Shandy, que é uma releitura das Micheladas mexicanas. Vai Gin Tanqueray n. 10, cerveja bock, grapefruit, sal defumado, bitters e pimenta habanero:

583

Não estava mal, mas achei a mistura um pouco exótica demais. Enquanto saboreava o drinque e comia procurei uma tomada para carregar meu Iphone e fiquei impressionado com a quantidade delas. A foto não ficou muito boa, mas mostra como é o rodapé da sala inteira: com espaçamento de 60 a 90 cm entre uma e outra, há sempre uma tomada universal. Novamente nota 10. 

582

A vista de qualquer lugar que se sente é o terminal de passageiros, o que eu prefiro a paredes fechadas:

575

576

O único ponto que poderia ser revisto é a velocidade do wi-fi:

560

Quando terminei de comer já estava na hora do meu horário no spa e rumei pra lá. São tratamentos espressos de 15 minutos e aqui está o menu, que peguei no blog do View from the Wing porque esqueci de tirar foto:

Novamente eu tenho que lembrar: tudo isso gratuito (se você não levar em consideração a anuidade, claro =). Aqui mais imagens da sala do spa:

596 595 597

A sala, assim como o lounge, é coberta por paredes de vidro, mas não se preocupe pois os tratamentos não necessitam que se tire a roupa.

594

Pedi uma massagem para ombros e costas e devo aplaudir o trabalho da massoterapeuta que me deixou zerado de todas as tensões. Aqui a nota seria 11 se tivesse como dar. Mesmo não sendo obrigatório deixei uma boa gorjeta pelo serviço excepcional.

Ao sair do spa vi que meu voo estava atrasado. Mas que sorte! De volta ao bar! Chegando lá me sentei no balcão do bar (que é o melhor lugar de qualquer bar) e pedi um Jack Rose:

602

O Jack Rose leva Apple Brandy, Pama Pomenegrate Liqueur, limão e Abbott’s Bitter. O resultado é esse aqui:591

Animado com o excelente resultado deste drinque, pedi um Corn n’ Oil, que leva Cruzan Black Strap Rum, Falernum, suco de limão e bitters:

585

Disparado o melhor cocktail que eu tomei em anos! Indescritível o sabor e perfeita a ideia do floater de rum escuro em cima penetrando o gelo como se fosse petróleo (estamos em Dallas, ora pois!).

Quem sofreu foi o drinque seguinte, que não estava ruim, mas veio depois do Corn n’ Oil e pagou o preço por isso. O drinque se chama Tex/Mex e leva Tito’s Handmade Vodka, Cabeza Blanco Tequila, extrato de milho, mel, limão e pimenta jalapeño:

614

Saboreei o drinque e resolvi conferir o horário do meu voo. Tinha atrasado mais um pouco. Continuem assim! Pedi então a saideira: Country Club, que leva Crown Royal Canadian Wisky, Iced Tea, limão e Fernet Blanca (que estava em falta):

615

Claramente o Fernet fez falta pois o amargor do bitter arredondaria os sabores das outras bebidas. Quero voltar um dia para provar o drinque completo.

Eu aproveitei e tirei fotos da carta de bebidas:

586 588

Quando dei por mim já era hora de correr pro portão e deixar para trás o melhor lounge que já pude visitar.

Faltou mostrar que o espaço de quase 900 metros quadrados possui ainda espreguiçadeiras para tirar uma soneca, business center com computadores de última geração e impressoras multifuncionais e um espaço kids.

Faz parte, a gente sempre tem que deixar algo pra fazer numa próxima viagem. Nos faz voltar. E tenho certeza que voltarei aqui e tentarei rotear meus voos para os EUA via Dallas no futuro. Sim, é tão bom assim!

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto direito superior ou aqui embaixo).