Dividend Miles e Lifemiles oferecem bônus de até 100% para compra de milhas

LifemilesDividend_Miles

Este post foi ao ar mais cedo do que o normal propositalmente =) Só pra deixar claro, depois do erro de ontem. Vou testar novos horários para o post diário, se tiverem alguma preferência comentem abaixo.

Poucas coisas são tão previsíveis no mundo das milhas como as promoções para compra de milhas do Dividend Miles (US Airways) e do Lifemiles (Avianca).

Ontem foram lançadas as versões mais recentes destas promoções, o que pode ser uma ótima oportunidade para usuários experientes, já que os dois programas são consolidadores das duas maiores alianças aéreas: Oneworld (Dividend Miles) e Star Alliance (Lifemiles).

Consolidadores? Sim, programas que permitem o acúmulo através de compra, com tabelas conhecidas e competitivas e que permitem emissão em diversos parceiros aéreos. É importante dizer que a tabela do Lifemiles vai sofrer alterações a partir de 15 de outubro, como eu contei aqui.

As duas promoções são para compras de 2 a 30 de setembro.

Começamos pela promoção do Dividend Miles:

O bônus varia de acordo com o número de milhas comprado:

  • De 1.000 a 9.000 milhas – bônus de 25%;
  • De 10.000 a 19.000 milhas – bônus de 50%;
  • De 20.000 a 29.000 milhas – bônus de 75%;
  • De 30.000 a 50.000 milhas – bônus de 100%;

Nem preciso falar que você só deve considerar a compra se for comprar a partir de 35.000 milhas, para receber o bônus de 100%.

No caso da compra com o bônus máximo o valor da milha já com taxas fica em US$ 0,0188, sempre lembrando que por ser uma compra no exterior há incidência de IOF (6,38%), o que eleva o valor da milha para aproximadamente 2 centavos de dólar.

É necessário que a conta tenha sido criada há pelo menos 12 dias. Então se tem interesse pode se inscrever no programa clicando aqui que dá tempo de participar.

Lifemiles-100-Bonus

A promoção do Lifemiles, que você pode ver clicando aqui.

Cada bloco de 1.000 milhas comprado no Lifemiles recebe outras 1.000 milhas (bônus de 100%). O custo da operação fica em US$ 30, ou seja, a milha sai por US$ 0,015.

Além do custo ser mais barato que o cobrado pela US Airways é possível efetuar a compra através do call center 0800 891 8668 que parcela o valor da compra em reais (evitando assim a cobrança do IOF) em até 10 vezes.

Somente usuários cadastrados antes de dois de setembro podem participar. Se ainda não for, cadastre-se para uma próxima clicando aquiÉ permitida apenas uma compra e há o limite anual de 75.000 milhas compradas, então calcule antes a sua necessidade.

Pense bem antes de comprar

Antes de efetuar a compra, algumas advertências:

  • Não recomendo a promoção para usuários iniciantes. Estude os programas e suas regras e só efetue a compra quando estiver familiarizado;
  • A Avianca internacional e a Avianca Brasil tem programas de milhagem distintos que não conversam entre si;
  • Comprando milhas você está antecipando o valor de uma passagem que poderá não estar disponível na época desejada;
  • A tabela de resgates pode sofrer desvalorização sem aviso prévio (a Avianca já fez isso no passado);
  • Os call center de US Airways e Avianca tem péssima fama;
  • A Avianca não permite emissão em cabines mistas (econômica+executiva ou executiva+primeira) o que limita quem não mora em Rio e São Paulo.

Então meu conselho é: só compre se tiver uma emissão em mente, não compre especulativamente que não é bom negócio. E compre para voar na executiva ou primeira classe, onde estão as melhores relações custo-benefício.

Quer receber este e outros posts em primeira mão? Ser o primeiro a saber das dicas e promoções? Assine o blog via e-mail (ali no canto esquerdo ou direito superiores).

Dividend Miles com bônus de até 100% na compra de milhas

Outro dia eu estava falando que certas coisas são bem previsíveis no mundo dos pontos e das milhas. Referia-me às frequentes promoções do Le Club. Mas o mesmo pode ser dito sobre as promoções de compra de milhas que a US Airways oferece no seu programa de fidelidade, o Dividend Miles.

A oferta atual é dirigida, ou seja, nem todos recebem a mesma oferta. Na melhor versão ela oferece um bônus de 100% sobre as milhas compradas, mas só logando na sua conta para saber qual oferta que você recebeu.

Tela do Dividend Miles
Tela do Dividend Miles

Recebendo o bônus de 100% o custo da compra ficam em US$ 1.881,25, sempre lembrando que por ser uma compra no exterior há incidência de IOF, o que eleva o total para US$ 2.001,27. Ou seja, cada milha comprada sai ao custo aproximando de 2 centavos de dólar.

A grande sacada de se aproveitar essa promoção é consultar antes a tabela da US Airways para ver o quanto custa o trecho desejado. Muitas vezes a compra pode fazer sentido. A tabela para voos próprios da US Airways está aqui.

Dá pra voar ida e volta do Brasil para os EUA (incluindo o Havaí) na business por 60.000 milhas na baixa e 100.000 na alta temporada.

Explico: você antecipa o valor da passagem à vista e depois fica a mercê da disponibilidade de assentos. Pra piorar o call center da US Airways é alvo de frequentes reclamações.

Já na tabela para emissão nos parceiros, esta sim tem oportunidades bem interessantes.

Do Brasil para a Europa pode-se emitir uma passagem na executiva por 100.000 milhas. É possível inclusive fazer uma parada na ida e na volta nos Estados Unidos. E se quiser ir de primeira classe é só juntar mais 30.000 milhas (algo que não é tão difícil já que as promoções de compra de milhas se repetem com frequência).

Outro valor bem interessante é do Brasil para Ásia, Oriente Médio e Oceania: 120.000 milhas na executiva e 150.000 na primeira classe.

Para acessar a promoção é necessário que sua conta tenha pelo menos 12 dias, mas como a promoção vai até 31 de Julho é possível abrir uma conta agora e ainda participar da promoção. Se quiser se associar, o link é este.

Antes de sair comprando, dá só uma lida naqueles velhos conselhos:

  • Não recomendo a promoção para usuários iniciantes. Estude o programa e suas regras e só efetue a compra quando estiver familiarizado;
  • Comprando milhas você está antecipando o valor de uma passagem que poderá não estar disponível na época desejada;
  • A tabela de resgates pode sofrer desvalorização sem aviso prévio (a US Airways fez isso recentemente);

Agora que você já sabe os prós e contras, tem como decidir se a oferta vale ou não a pena.

Gostou? Quer ser o primeiro a receber novos posts? Assine o blog via e-mail (ali no canto esquerdo ou direito superiores).

US Airways prorroga a promoção para compra de milhas

No dia 2 de maio eu antecipei aqui a promoção para a compra de milhas da US Airways com bônus de 100%. A data limite para compra era dia 25/05/2014 mas ela acaba de ser prorrogada. Agora você tem até dia 31 de maio para efetuar sua compra.

O bônus é progressivo de acordo com o número de milhas compradas:

  • De 10.000 a 19.000 milhas, 50% de bônus;
  • De 20.000 a 29.000 milhas, 75% de bônus;
  • De 30.000 a 40.000 milhas, 100% bônus.

Antes de comprar, recomendo a leitura das minhas observações sobre a promoção, feitas no post anterior.

Gostou? Quer ser o primeiro a receber novos posts? Assine o blog via e-mail (ali no canto esquerdo ou direito superiores).

Promoção para compra de milhas da US Airways com bônus de 100% vai voltar

 

Segundo o blog Loyalty Lobby a promoção para compra de milhas da Us Airways com bônus de 100% vai voltar do dia 03/05/2014 e vigorar até 25/05/2014.

A promoção foi recorrente nos últimos anos, mas ninguém sabia ao certo se ela iria retornar depois da fusão com a American Airlines. Através dela você pode comprar um máximo de 50.000 milhas, recebendo outras 50.000 milhas de bônus.

O custo da compra ficam em US$ 1.881,25, sempre lembrando que por ser uma compra no exterior há incidência de IOF, o que eleva o total para US$ 2.001,27. Ou seja, cada milha comprada sai ao custo de 2 centavos de dólar.

A grande sacada de se aproveitar essa promoção é consultar antes a tabela da US Airways para ver o quanto custa o trecho desejado. Muitas vezes a compra pode fazer sentido. A tabela para voos próprios da US Airways está aqui.

Dá pra voar ida e volta do Brasil para os EUA (incluindo o Havaí) na business por 60.000 milhas na baixa e 100.000 na alta temporada. Na minha opinião (tirando o Havaí) este é um uso ruim das milhas e do seu dinheiro.

Explico: você antecipa o valor da passagem à vista e depois fica a mercê da disponibilidade de assentos. Pra piorar o call center da US Airways é alvo de frequentes reclamações.

Já na tabela para emissão nos parceiros, esta sim tem oportunidades bem interessantes.

Do Brasil para a Europa pode-se emitir uma passagem na executiva por 100.000 milhas. É possível inclusive fazer uma parada na ida e na volta nos Estados Unidos. E se quiser ir de primeira classe é só juntar mais 30.000 milhas (algo que não é tão difícil já que as promoções de compra de milhas se repetem com frequência).

Outro valor bem interessante é do Brasil para Ásia, Oriente Médio e Oceania: 120.000 milhas na executiva e 150.000 na primeira classe.

De todo modo resolvi escrever sobre o assunto antes da promoção ir ao ar pois eles sempre exigem que a conta do Dividend Miles tenha sido criada há pelo menos 12 dias. Então se tem interesse se inscreve no programa aqui.

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto esquerdo ou direito superiores).

Bomba: novas regras para o AAdvantage e Dividend Miles

Hoje o mundo dos pontos e milhas acordou sob o forte impacto do anúncio das novas regras do AAdvantage (American Airlines) e do Dividend Miles (US Airways).

Ainda que mudanças fossem esperadas, o modo como foram feitas (da noite pro dia) conseguiu irritar todo mundo. Até mais que as mudanças em si.

Como são muitas as novidades demorei um pouco para fazer este post para poder ler e selecionar as maiores mudanças, destacando as que afetam diretamente  os voos de ou para o Brasil.

Vamos começar com as mudanças específicas no AAdvantage:

  • Foram eliminadas as passagens Oneworld Explorer, que serviam para dar a volta ao mundo na American e cias parceiras e se baseavam na distância voada (essa me atingiu em cheio, esse uso de milhas era o meu sonho);
  • Foi eliminado o stopover gratuito nos hubs da AA (antes era possível emitir a passagem desejada e ainda uma passagem one way para o futuro partindo dos hubs, sem custo adicional de milhas);
  • Foram criadas cinco categorias de passagens usando milhas (2 no MilesSAAver e 3 no AAnytime) – antes eram somente duas;

O fim dos prêmios Oneworld Explorer foi uma ducha de água fria pra mim. Estava juntando pontos na AA com o objetivo de fazer uma volta ao mundo de até 20.000 milhas (para este prêmio, voando somente na classe executiva eram necessárias apenas 130.000 milhas). Mas dá pra entender essa mudança já que o valor era irrisório perto do custo das passagens compradas.

O fim do stopover gratuito não foi surpresa. Era uma falha no programa que foi amplamente divulgada e utilizada. Ela permitia você emitir, por exemplo, Nova Iorque-Londres-Nova Iorque, fazer uma parada de 4 meses e incluir (sem aumento das milhas necessárias) uma passagem Nova Iorque-Los Angeles. Claro que isso seria atacado na primeira oportunidade. E foi.

A principal mudança negativa, na minha opinião, foi a criação das cinco zonas de prêmios. Agora o MilesSAAver tem dois níveis e o AAnytime tem três.

As duas categorias do MilesSAAver podem ser resumidas em: nível 1 (level 1) – baixa temporada (1o. de Março a 31 de Maio e de 16 de Agosto a 30 de Novembro no caso da América do Sul); nível 2 (level 2): alta temporada (demais datas).

Esta mudança afeta apenas os voos na classe econômica (não houve nenhuma alteração nos valores cobrados pela executiva e primeira classe).

Os voos entre EUA e Brasil permanecem com o valor de 20.000 milhas (o melhor do mercado) na baixa temporada mas vão custar 30.000 milhas na alta temporada.

É um aumento considerável mas os valores ainda são competitivos. Tudo vai depender da disponibilidade das passagens nestes valores mais baixos.

Isto porque as mudanças nos prêmios AAnytime para nós foram quase todas pra pior. A criação de duas categorias extras (dentre elas um misterioso nível 3 (level 3), ainda não divulgado) sugere que será cada vez mais difícil tirar bilhetes pelo valor mínimo.

O excelente blog Wadering Aramean preparou uma tabela que aponta claramente as mudanças. À direita estão os valores originais (que valiam até ontem), em verde os valores que baixaram e em vermelho os que subiram:

Fonte: Wandering Aramean
Fonte: Wandering Aramean

O único prêmio que baixou de valor foi o nível 1 (level 1) da classe econômica, de 60.000 para 55.000 milhas. O resto foi ladeira acima.

E ninguém cria categorias mais caras pra não usar. A mudança é péssima e certamente diminuirá a chance de encontrar passagens nos valores menores.

E ainda tem esse nível 3 (level 3) que me deixou com a pulga atrás da orelha.O blog View from the wing conversou hoje com a Presidente do AAdvantage, Suzanne Rubin, sobre o assunto. Eis a resposta dela (em tradução literal):

“Este nível ainda vai ser determinado, estamos nos certificando que possamos casar os níveis dos prêmios com a demanda em certos dias. Se você olhar nas antigas datas bloqueadas do Dividend Miles é um bom indício de quais datas seriam estas, mas estamos nos assegurando que as datas não sejam expansivas e casem bem com a demanda do produto. Em última análise precisamos nos assegurar que o valor está alinhado com a alternativa paga. Temos que aprender um pouco mais sobre isso”.

A resposta me pareceu vaga demais e certamente as notícias que vierem sobre este nível 3 não serão boas.

As mudanças no Dividend Miles:

  • A tabela tem agora quatro categorias (com a milhagem subindo gradativamente);
  • A única mudança na tabela foram nos voos de Caribe, México e EUA para o norte da Ásia;

Numa primeira análise não vejo mudanças substanciais no Dividend Miles. A criação de novas categorias sugere maior dificuldade em encontrar os prêmios mais baratos nos voos da US Airways.

Ocorre que o grande valor do Dividend Miles está em emitir nos parceiros aéreos e nisto não houve nenhuma mudança além dos voos partindo da América do Norte e Caribe para o norte da Ásia.

De qualquer forma não há muito sentido em mudar muita coisa já que o programa está com morte anunciada – o programa a ser adotado pela Nova American é o AAdvantage.

Mudanças que valem pros dois programas:

Por fim destaco a mudança na política de bagagem, que vale pras duas cias. Elas entram em vigor imediatamente em voos da American e dia 23 de Abril na US Airways. As regras completas você pode ler aqui, mas segue o resumo da ópera:

  • AAdvantage Gold e Dividend Miles Gold e Platinum terão direito a apenas uma bagagem despachada (eram duas);
  • Passageiros voando em prêmios AAnytime ou em tarifa cheia não terão direito à nenhuma franquia grátis;
  • Nos voos de e para o Brasil serão permitidas duas malas de 32kg para todos os passageiros, sem custo adicional.

As duas primeiras mudanças tem pouca relevância para a maioria das pessoas, já que não valem para os voos de e para o Brasil.

Para o Brasil a regra passa a ser para todos a mesma: duas malas de 32kg. Essa já era a regra nos voos de ida e volta ou do Brasil para os EUA , mas nos voos só dos EUA para o Brasil a regra era diferente. Eis uma mudança positiva (aleluia!).

Ninguém gosta de desvalorização de programa de fidelidade. Eu não sou diferente. Mas entendo que isso faz parte do jogo. E já esperava este movimento da American pós-fusão.

O que eu não aceito é mudar as regras sem aviso prévio, sem período de adaptação. Programa de fidelidade pressupõe uma relação de confiança. E a minha na nova American sai abalada depois deste episódio.

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto esquerdo ou direito superiores).

American e US Airways oferecem bônus de 50% nas milhas

As novidades da fusão entre a American Airlines e a US Airways não param. Agora elas lançaram uma promoção em conjunto que vai bonificar quem escolher voar por uma mas escolher creditar no programa de fidelidade da outra.

Isso mesmo: você voa American Airlines e pede para creditar na sua conta do Dividend Miles ou então voa US Airways e pede para creditar na sua conta do AAdvantage. Com isso as milhas virão com um bônus de 50%.

As viagens devem acontecer entre 13 de janeiro até 02 de março deste ano e como em todas as promoções da American (não sei como era na US Airways antes de fusão), você tem que se cadastrar usando códigos:

É uma excelente promoção para quem tem um voo marcado com uma das duas, já que não exige nada além de selecionar o programa de fidelidade da outra cia e a bonificação é muito boa.

Novos benefícios em vigor da Nova American

Criando a nova American, juntos.

Como eu já havia antecipado aqui, hoje entram em vigor os primeiros benefícios vindos da fusão da American Airlines com a US Airways e da integração do Aadvantage e do Dividend Miles.

Apesar dos programas continuarem separados até o final do ano, a partir de hoje já possível obter e resgatar milhas Aadvantage ao viajar pela US Airways e vice-versa. E o melhor: as viagens vão contar para qualificação de categoria elite.

Além disto, os membros elite das duas cias já podem desfrutar de benefícios recíprocos e exclusivos, como check in preferencial, bagagens despachadas gratuitamente, embarque preferencial e acesso aos lounges.

Aos 35 Admirals Club espalhados pelo mundo, somam-se mais 19 US Airways Clubs, sendo que 10 deles ficam em aeroportos onde a American não tinha um lounge.

Tudo isso já havia sido anunciado e era esperado, mas significa que a integração está dentro do cronograma normal. Vamos aguardar novas revelações e quem sabe a possibilidade do envio de milhas entre um programa e outro.

Se você não quiser perder nenhum post, assine o blog via e-mail (ali no canto direito superior ou aqui embaixo).

Revelados detalhes sobre a fusão da American Airlines com a US Airways

Atualizado em 10/12/2013 as 16:12h

Hoje (09/12/2013) será foi assinada oficialmente a fusão entre a American Airlines e a US Airways, formando a maior companhia aérea do mundo. A nova American surge com cerca de 6,7 mil voos diários para mais de 330 destinos em mais de 50 países. São mais de 100 mil funcionários.

Como em toda fusão deste porte haverá um período de transição e integração das duas cias. Em entrevista ao jornal Dallas Morning News, o CEO da nova cia Doug Parker (e atual CEO da US Airways) revelou  alguns detalhes deste período de transição:

  • Por volta de 07 de Janeiro de 2014 os membros elites de ambas as cias vão desfrutar dos mesmos benefícios da categoria equivalente no outro programa;
  • A partir desta data será possível adquirir milhas para o AAdvantage voando US Airways e vice versa;
  • Será possível usar as milhas do AAdvatange para voar com a US Airways e vice versa;
  • A US Airways ficará na Star Alliance até 30 de março de 2014, entrando no dia 31 de março de 2014 para a Oneworld;
  •  Os programas de fidelidade serão unidos no final de 2014 ou começo de 2015;
  • Ainda não há certeza se a nova logomarca da American será mantida ou uma nova será criada;
  • Até o final de 2015 a nova cia aérea operará como uma só.

É bastante informação para digerir. Algumas coisas já eram anunciadas, como a de que a marca e programa de fidelidade adotados pela nova empresa seriam a American Airlines e o seu Aadvantage. Outras revelações realmente me pegaram de surpresa.

Por exemplo, não faz o menor sentido deixar como incerta a logomarca da nova cia. A American Airlines gastou milhões em pesquisa, projetos, análises, repintura de aviões e outros tantos foram encomendados com a nova pintura. Todo esse trabalho ir pro lixo seria um retrocesso, mas eu sou suspeito para falar pois gostei bastante da nova identidade visual da American.

A saída da US Airways da Star Alliance também era algo esperado. Durante um breve período (entre Janeiro e Março) os membros do Dividend Miles poderão emitir passagens tanto na American como na United. Certamente há oportunidades únicas neste tópico que em breve vão pipocar nos fóruns de aviação.

Ter um marco para a saída da US Airways da Star Alliance cria também uma contagem regressiva para quem quer aproveitar as milhas do Dividend Miles e emitir passagens em cias da aliança.

Um desapontamento é que nada foi dito sobre a possibilidade de se jogar milhas de um programa pro outro, como aconteceu na fusão entre a Continental e United. Seria excelente poder usar as milhas do Aadvantage para emitir passagens na Star Alliance usando a tabela atual da US Airways.

O dia de hoje será repleto de notícias envolvendo a fusão, então se tiver coisa nova eu vou atualizando aqui.