TBT: Trip Report do passado, First Class da British Airways no 747-400

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

TBT é uma sigla que quer dizer “Throw Back Thursday” (Quinta-feira retrô, na tradução livre) que é muito utilizada em hashtags em redes sociais para fazer uma lembrança de algo inesquecível do passado, feita nas quinta feiras. Eu já havia falado algumas vezes que uma hora ia fazer isso aqui, pois já documento meus voos há alguns anos com a ideia do blog em mente.

Como no final do ano vou voltar à primeira classe da British achei que seria interessante ter aqui um post sobre a minha primeira experiência com o produto pra poder comparar se houve alguma evolução.

Antes do TR propriamente dito acho que é interessante fazer uma introdução. Para os leitores do blog pode parecer que eu sempre viajei de classe executiva ou primeira classe, o que absolutamente não é verdade.

A maior parte das minhas viagens foi feita no fundão, ouvindo “chicken or pasta” e rezando para chegar no destino final. Sei bem o que se sofre em busca das sonhadas férias.

Com o tempo fui vendo que há alternativas, principalmente quando se usa milhas e pontos. Estudo, dedicação e foco são a chave para vivenciar experiências incríveis, mesmo que seja uma vez na vida.

Dito isto, salvo engano, esse foi o meu primeiro voo fora da classe econômica. Nem econômica premium eu tinha voado até ali. Mas aproveitando uma oportunidade que existia à época eu consegui fazer um bom saldo de milhas na British e resolvi aproveitar.

British Airways Voo BA-246
São Paulo (GRU) – Londres (LHR)
Segunda, 15 de Abril de 2013
Partida: 09h00
Chegada: 07h20
Duração: 11h15
Milhas: 5.863
Aeronave: Boeing 747-400
Assento: 3A (First Class)

gru-lhtSabe criança em véspera de Natal? Pois é, multiplica por 10 e ainda não tá nem perto de descrever como eu estava me sentido. Depois de peregrinar pelas extintas salas vip da United e Mastercard (a pioneira) resolvi sair cedo em direção ao portão.

Extinto United Club de Guarulhos
Extinto United Club de Guarulhos

Olhando essas fotos dos corredores eu penso: como Guarulhos melhorou! Impressionante como as coisas mudaram por lá em pouco tempo.

Guarulhos pré reforma TPS2
Guarulhos pré reforma TPS2

Pela janela já era possível ver um pedacinho do Boeing da British:

Guarulhos pré reforma TPS2
Guarulhos pré reforma TPS2

A minha habilidade com a fotografia é que não mudou nada de lá pra cá. Olhem essa “obra prima” que tirei enquanto aguardava o início do embarque =)

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Aliás essa bagunça no portão é outra coisa que acabou no TPS3. Lá há espaços designados para passageiros preferenciais e a coisa funciona bem.

Com um pouco de atraso o voo foi chamado e tão logo entrei tirei a foto que abre o post, impressionado com o tamanho daquele avião. Ainda hoje o 747 é meu avião favorito.

Apesar do meu cartão de embarque dizer que eu escolhi o assento 3A este assento parece estar no lado direito do avião, sendo assim eu posso ter trocado pelo 3K.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

O assento tem um acabamento impecável e agradou bastante mas essa luminária é só estilo, por ser fixa serve pra quase nada.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Eu estava maravilhado com o tanto de espaço que tinha para mim. Hoje em dia vejo que é pouca coisa melhor que o espaço oferecido pela AA em sua executiva e ambos utilizam o mesmo tipo de assento em formato de espinha de peixe.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

A tela fica presa e é liberada com um toque:

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Há um bom número de compartimentos para guardar seus pertences, embora não caiba muita coisa em alguns deles:

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Esse cabide sim foi útil para guardar as roupas depois que troquei pelo pijama:

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

A necessaire distribuída era da marca Anya Hindmarch a qual, confesso, até hoje não sei absolutamente nada. Apesar de parecer ser de couro é feita de plástico.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Mesmo assim o desenho é de muito bom gosto:

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

O conteúdo é super completo, com escova de dentes de ótima qualidade, enxaguante bucal e vários cremes, além de um tapa-olhos confortável e meias. Tudo de primeira.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Além da necessaire os passageiros recebem também um pijama. Gostei tanto que uso até hoje mas a qualidade é um pouco inferior aos da Singapore, por exemplo.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Presença onipresente nas fotos é minha taça de Champagne. E a carta de vinhos da BA contava com nada mais, nada menos que três opções do vinho francês: Laurent-Perriet Grand Siècle, Henriot Vintage Brut 2007 e Bollinger Rosé Brut. Fiquei com a última que estava espetacular.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

O menu foi distribuído ainda em solo e apresenta as opções em inglês e português. A seleção de vinhos também está encartada neste volume.

Enquanto olhava as opções do menu o avião taxiava em direção à cabeceira da pista de decolagem. Foi minha primeira experiência com um Jumbo e a sensação que tive era de que ele não iria decolar nunca. É preciso muita velocidade para colocar aquela massa no ar, mas uma vez que embicamos a subida foi suave.

Assim que atingimos a velocidade de cruzeiro, foram oferecidos drinques. Não tive como dizer não para um Glenlivet 18 anos Single Malt, que veio acompanhado de um mix de castanhas quentes e água.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

À época não perguntei e pra falar a verdade não sei até hoje se o passageiro pode escolher o momento que quer fazer suas refeições. Acredito que sim. Seja como for, marinheiro de primeira viagem, aceitei de bom grado quando a comissária ofereceu para montar a mesa.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

O serviço iniciou com este amuse-bouche de camarão com abóbora:

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

O que chamou minha atenção foi a disposição dos talheres e louça: impecáveis! A prova de qualquer pessoa com TOC =)

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Seguiu com entrada de salmão gravlax e vinagrete de mostarda em grão:

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Como prato principal fui de Filé grelhado ao molho de alecrim. Para acompanhar um Château Larrivet Haut-Brion 2006. Nota 6 pro filé (que estava um pouco passado) e 8 para o Bordeaux.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

A sobremesa foi uma tarte tatin de manga com creme inglês de baunilha. Gostosa mas não memorável.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Encerrado o serviço pedi um café (Nespresso) pouco depois, acompanhado da minha sobremesa líquida favorita: Bailey’s on the rocks.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Realmente o que falta em espaço e privacidade sobra em estilo, a foto não faz justiça à cabine que fica ainda mais bonita com as luzes apagadas. A configuração é 1-1 nas duas primeiras fileiras e depois 1-2-1 nas duas seguintes seguintes, num total de 14 assentos. É muito, principalmente no nariz do 747 que tem o espaço afunilado.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Acho que nessa foto dá pra ver um pouco melhor a iluminação azulada:

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Fui ao banheiro escovar os dentes e trocar minha roupa pelo pijama e terei essa foto que mostra os produtos disponíveis:

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Antes, porém, pedi à comissária que fizesse minha cama. O serviço de arrumação faz parte da experiência e ninguém deve sentir vergonha de pedir. É colocado um colchonete no banco que reclina 180 graus. por cima um edredon macio e travesseiros com tamanho normal.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Evidente que eu não dormi um segundo, afinal essa era a minha primeira experiência numa cabine premium. Tentei, é verdade, mas acabei vendo filmes no sistema de entretenimento individual que é excelente.

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Perto de chegarmos em Londres foi servido um café da manhã tipicamente britânico: omelete,salsichas, batata, cogumelos e tomate grelhado:

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Como fiquei com fome, pedi também as panquecas com creme inglês:

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Pousamos em Heathrow dentro do horário, apesar da habitual espera no ar por um lugar na fila de pousos e decolagens. Lá fora um mar de caudas com a bonita pintura da cia inglesa:

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Os passageiros da First receberam prioridade no desembarque o cartão para não pegar fila na imigração. Londres definitivamente me recebeu com os braços abertos:

First Class da British Airways no 747-400
First Class da British Airways no 747-400

Como primeira experiência em classe premium foi bom ter começado por um produto que está abaixo das melhores cias do mercado. Tivesse começado com a Singapore, por exemplo, e voado com a British acho que seria um baque. Não que seja um produto ruim, pelo contrário, é ótimo. Mas quando se compara as diferenças são gritantes.

Eu sei que sai do avião feliz da vida e definitivamente convertido ao mundo dos pontos e milhas. Mas o blog ainda iria demorar quase um ano para sair da cabeça e virar realidade. Pelo menos guardei as fotos e agora pude fazer este primeiro Trip Report em flashback. Espero que tenham gostado.

Gostou do post? Assine o blog: no computador e no Ipad é no canto superior direito e no Iphone no rodapé. Basta inserir o seu e-mail.

Trip Report: Indochina – 41 – Conclusão

IMG_0763

Analisando todas as viagens que já fiz na vida essa foi sem dúvida a mais épica e disparada a melhor em termos de aviões/cias voadas. Foram nada mais nada menos que 21 voos em igual número de dias. Quem segue o Área de Embarque no Instagram e Twitter acompanhou de perto cada um destes voos. Loucura? Pra mim era parte da diversão! Mas claro que fiquei encantado com os lugares onde andei.

Tailândia, a favorita, mostrou-se um destino polivalente. Tem praias (as mais belas) para todos os gostos e preferências. Tem agito noturno. Tem templos de todos os tamanhos e um povo extremamente ligado à sua religiosidade.

IMG_0945

O roteiro pela Tailândia foi bastante complicado de montar mas no fim fiquei satisfeito com a união de praia, montanha e cidade (Phuket, Chiang Mai e Bangkok). E fiquei contente de ver que bater o pé por mais dias em Bangkok foi uma aposta que se pagou com juros.

IMG_0857

A capital tailandesa é realmente uma cidade fascinante! Agito e calmaria andam lado a lado e em todos os cantos, principalmente na rua, você come divinamente! A minha pior refeição e única que eu considerei realmente ruim foi no premiado Nahn, o número 1 da Ásia pelo site restaurant.com. Em compensação, comi coisas deliciosas em barraquinhas na rua. Tenha fé e aposte nisso se for pra lá (mas não esqueça de levar um remédio pra acalmar o estômago se for preciso).

Já era fã do pouco que conhecia da culinária de lá e voltei ainda mais fã e ciente de que não existe uma só culinária thai e sim várias (assim como não existe só uma culinária brasileira).

IMG_0992

No quesito aéreo voar com a Bangkok Airways foi uma diversão! Auto intitulada a cia aérea de butique da Tailândia ela oferece lounge para todos os passageiros, inclusive os da econômica! Fora isso em todos os trajetos, mesmo os mais curtos, foram servidas refeições, a maioria quente! E com talheres de metal!

IMG_0456

O Camboja, em contraste, mostrou-se muito pobre, mesmo eu tendo visitado apenas Siem Reap, a capital turística do país. Se ali, que circula dinheiro de fora todos os dias é assim, imagina no resto do país.

IMG_1227

Por conta do câmbio tudo é muito barato! Muito mesmo. E isso permitiu que ficássemos hospedados no Sofitel com toda pompa e luxo, sem falar num café da manhã nababesco!

IMG_1169

De lá mais um voo de poucas horas em mais uma cia inédita (Cambodia Airways) e outro país incrivelmente diverso: o Vietnã.

IMG_1249

Começar por Saigon (Ho Chi Mihn) foi um choque pois a cidade é a capital mundial das motos. Atravessar uma rua lá é para os fortes e daria uma bela prova para as Olimpíadas do Faustão (ainda tem isso?).

Por sua vez Hanói é calmíssima. Menos movimento, mais praças e uma história muito triste para contar da ainda recente Guerra dos Estados Unidos (como eles chamam a Guerra do Vietnã).

IMG_1536

O câmbio também é bem amigável e repetimos a dose com mais uma estadia no Sofitel.

IMG_1373

E não poderia encerrar minha fala sobre o Vietnã sem falar de Ha Long Bay. O cruzeiro naquela baía foi um dos melhores passeios da viagem e revelou paisagens cinematográficas. Foi bom ter ouvido minha irmã que defendeu o programa com unhas e dentes. Você estava certa, sis!

IMG_1458

Mas o melhor estava guardado pro final: uma sequência de voos pra nenhum avgeek botar defeito: Boeing 777-200 da Qatar Airways na executiva, Boeing 787-800 da Royal Jordanian na executiva, Airbus A380 da Singapore Airways e pra fechar com chave de ouro dois voos consecutivos na primeira classe do Boeing 777-300ER da Singapore Airways, sendo que no último eu era o único passageiro da classe. Sonho!

IMG_1581

Essa viagem renovou minha fé no mundo dos pontos e milhas e, como eu contei nos primeiros posts, pude desfrutar de produtos que jamais teria condições de pagar. Foi sem dúvida nenhuma uma das melhores viagens que já fiz e recomendo: a Ásia tem muito a oferecer!

Se quiser saber como foi o processo de emissão de passagens (com milhas) e reserva de hotéis é só clicar no segundo e terceiro posts. Quem se animar de ler tudo, seja meu convidado, aqui está uma viagem à Indochina em 40 posts:

  1. Introdução;
  2. Emissão de passagens;
  3. Reserva de hotéis;
  4. Ibis Guarulhos;
  5. Sala Vip Star Alliance (GRU);
  6. Voo Turkish Airlines GRU/IST;
  7. Polat Renaissance Hotel Istanbul;
  8. Cip Lounge Turkish Airlines (IST);
  9. Voo Turkish Airlines IST/BCN;
  10. Sala Vip Pau Casals (BCN);
  11. Voo Swiss Airlines BCN/ZHR;
  12. Voo Swiss Airlines ZHR/AMS;
  13. Voo Eva Airways AMS/BKK;
  14. Voo Bangkok Airways BKK-HKT;
  15. Millenium Resort Patong Phuket;
  16. Holiday Inn Resort Phi Phi Island;
  17. Sheraton Krabi Beach Resort;
  18. Voo Bangkok Airways KBV/BKK;
  19. Renaissance Bangkok Ratchaprasong Hotel;
  20. Voo Bangkok Airways BKK/CNX;
  21. Ibis Styles Chiang Mai;
  22. Voos Bangkok Airways CNX/BKK e BKK/REP;
  23. Sofitel Angkor Phokeethra Golf and Spa Resort;
  24. Voo Vietnam Airlines REP/SGN;
  25. Pullman Saigon Centre;
  26. Voo Vietnam Airlines SGN/HAN;
  27. Sofitel Plaza Hanoi;
  28. Pelican Cruise Halong Bay;
  29. ACV Business Lounge (HAN);
  30. Voo Qatar Airways HAN/BKK;
  31. Bangkok Marriott Hotel Sukhumvit;
  32. Salas Vip BKK Internacional;
  33. Novotel Hong Kong Century;
  34. SilverKris First Class Lounge (HKG);
  35. Voo Singapore Airlines HKG/SIN – Airbus A380;
  36. SilverKris Business e First Class Lounges (SIN);
  1. The Private Room (SIN);
  2. Voo Singapore Airlines SIN/BCN – Primeira Classe do Boeing 777-300ER;
  3. Voo Singapore Airlines BCN/GRU – Primeira Classe do Boeing 777-300ER

 

Gostou do post? Assine o blog: no computador e no Ipad é no canto superior direito e no Iphone no rodapé. Basta inserir o seu e-mail.

Trip Report: Indochina – 38 – The Private Room (SIN)

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN) – Foto: google imagens

The Private Room é um nome pomposo, isso ninguém vai negar. Para viajantes frequentes é um lugar mítico, acessível apenas pelos passageiros em trânsito no aeroporto de Changi que estejam viajando ou tenham chegado ali a bordo das Suítes do A380. Fiz um desvio de rota enorme para voar com o A380, que era meu foco principal e ganhei de brinde o acesso a este lounge único, experiência que divido hoje com vocês no 38o. post deste trip report:

  1. Introdução;
  2. Emissão de passagens;
  3. Reserva de hotéis;
  4. Ibis Guarulhos;
  5. Sala Vip Star Alliance (GRU);
  6. Voo Turkish Airlines GRU/IST;
  7. Polat Renaissance Hotel Istanbul;
  8. Cip Lounge Turkish Airlines (IST);
  9. Voo Turkish Airlines IST/BCN;
  10. Sala Vip Pau Casals (BCN);
  11. Voo Swiss Airlines BCN/ZHR;
  12. Voo Swiss Airlines ZHR/AMS;
  13. Voo Eva Airways AMS/BKK;
  14. Voo Bangkok Airways BKK-HKT;
  15. Millenium Resort Patong Phuket;
  16. Holiday Inn Resort Phi Phi Island;
  17. Sheraton Krabi Beach Resort;
  18. Voo Bangkok Airways KBV/BKK;
  19. Renaissance Bangkok Ratchaprasong Hotel;
  20. Voo Bangkok Airways BKK/CNX;
  21. Ibis Styles Chiang Mai;
  22. Voos Bangkok Airways CNX/BKK e BKK/REP;
  23. Sofitel Angkor Phokeethra Golf and Spa Resort;
  24. Voo Vietnam Airlines REP/SGN;
  25. Pullman Saigon Centre;
  26. Voo Vietnam Airlines SGN/HAN;
  27. Sofitel Plaza Hanoi;
  28. Pelican Cruise Halong Bay;
  29. ACV Business Lounge (HAN);
  30. Voo Qatar Airways HAN/BKK;
  31. Bangkok Marriott Hotel Sukhumvit;
  32. Salas Vip BKK Internacional;
  33. Novotel Hong Kong Century;
  34. SilverKris First Class Lounge (HKG);
  35. Voo Singapore Airlines HKG/SIN – Airbus A380;
  36. SilverKris Business e First Class Lounges (SIN).

 

O The Private Room é um lounge dentro de um lounge que fica dentro de um terceiro lounge. Para chegar até ele você precisa estar voando na First Class ou Suítes da Singapore Airlines no mesmo dia e o que o diferencia do espaço reservado à Primeira Classe geral é o nível de serviço e a qualidade da comida.

Ao invés de um bufê, você tem um restaurante a la carte, este da foto:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN) – foto: google imagens

Ao entrar mostrei meu cartão de embarque e convite ao espaço e ele me acompanhou até o lounge falando de algumas amenidades disponíveis. Vi que anotou o número do meu voo e disse que quando fosse a hora viria me buscar para o embarque. Por fim perguntou o que gostaria de beber e pedi uma taça de Champagne.

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Logo na entrada jornais e revistas de todos os lugares do mundo. Uma verdadeira babel:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

O lounge não é particularmente grande. No lado direito ficam os espaços pra sentar, ao fundo há uma sala de televisão e um pequeno business center. O que muda aqui não é a quantidade mas a qualidade. Eu sentei numa poltrona igual esta aqui:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Aqui o pequeno business center (todos que tem acesso ao The Private Room podem acessar o business center na entrada, maior e mais completo):

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Aqui a tevê que fica no fundo da sala, sempre sintonizada no canal de notícias:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Alguns lugares estavam ocupados mas enquanto estive lá não vi mais do que 10 pessoas (no total).

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Finalmente resolvi sentar e, como antecipei, escolhi essa poltrona que é símbolo do lounge:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Elas são dispostas em duas em duas, uma de frente pra outra:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Apesar de haver um restaurante montado, você pode pedir qualquer item do cardápio onde quer que esteja sentado. Assim que sentei recebi minha Champagne. O TPR serve Veuve Clicquot La Grande Dame 2004:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Numa bela taça, diga-se de passagem:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

 

Junto com o vinho recebi esse amuse-bouche de lagosta:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Recebi também o menu:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Apesar de haver um verdadeiro restaurante dentro do lounge, com mesas e cadeiras, você pode pedir qualquer item do menu onde quer que esteja sentado.

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Quando li hamburguer com foie gras e ovo de codorna não resisti e pedi logo de cara:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Estava uma delícia. E vou confessar: sou tão fã da iguaria francesa que pedi um repeteco do hamburguer…sem hamburguer. O garçon nem hesitou. Trouxe em minutos o fígado de ganso grelhado:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Depois deste reconhecimento inicial, resolvi deixar para jantar depois de fazer o reconhecimento dos espaços destinados à Business Class e First Class. Quando retornei ao local fui direto ao restaurante.

Nele há um bufê self-service:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Sinceramente? Não vi o menor sentido em ter um bufê, quando se pode pedir direto do menu. Procurei uma mesa no diminuto salão:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Como estava vazio não senti culpa em pegar essa mesa de canto para três pessoas:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Pedi uma lagosta pochê ao provençal que veio assim, cheia de bossa:

The Private Room (SIN)
The Private Room (SIN)

Terminei minha refeição com calma e pensei comigo mesmo: melhor parar por aqui, ainda tenho dois voos longos pela frente e muito o que comer.

Conclusão:

O que o The Private Room oferece de diferente é a sensação de exclusividade. De estar onde muitos passageiros de primeira classe não tem acesso. É um ambiente calmo onde você pode relaxar, refletir e até fazer uma refeição formal. O atendimento é cinco estrelas e eles realmente fazem com que você se sinta especial. Ficou a sensação de que toda a engenharia para estar ali valeu a pena. Valeu muito a pena.

Gostou do post? Assine o blog: no computador e no Ipad é no canto superior direito e no Iphone no rodapé. Basta inserir o seu e-mail.

Trip Report: Indochina – 37 – SilverKris Business e First Class Lounges (SIN)

SilverKriss Business e First Class Lounges (SIN)
SilverKriss Business e First Class Lounges (SIN)

No último post deste trip report eu falei que ia revelar o que estava no fim dessa esteira do Aeroporto de Changi, em Cingapura. Na verdade nem é tão segredo assim, uma vez que já tinha revelado que iria seguir viagem rumo a São Paulo. O meu horário de chegada foi perfeito para poder explorar bem o SilverKris Lounge que é imenso e divide-se em três partes: Business, First e The Private Room. Hoje eu conto um pouco dos dois primeiros no trigésimo sétimo post deste trip report aqui:

  1. Introdução;
  2. Emissão de passagens;
  3. Reserva de hotéis;
  4. Ibis Guarulhos;
  5. Sala Vip Star Alliance (GRU);
  6. Voo Turkish Airlines GRU/IST;
  7. Polat Renaissance Hotel Istanbul;
  8. Cip Lounge Turkish Airlines (IST);
  9. Voo Turkish Airlines IST/BCN;
  10. Sala Vip Pau Casals (BCN);
  11. Voo Swiss Airlines BCN/ZHR;
  12. Voo Swiss Airlines ZHR/AMS;
  13. Voo Eva Airways AMS/BKK;
  14. Voo Bangkok Airways BKK-HKT;
  15. Millenium Resort Patong Phuket;
  16. Holiday Inn Resort Phi Phi Island;
  17. Sheraton Krabi Beach Resort;
  18. Voo Bangkok Airways KBV/BKK;
  19. Renaissance Bangkok Ratchaprasong Hotel;
  20. Voo Bangkok Airways BKK/CNX;
  21. Ibis Styles Chiang Mai;
  22. Voos Bangkok Airways CNX/BKK e BKK/REP;
  23. Sofitel Angkor Phokeethra Golf and Spa Resort;
  24. Voo Vietnam Airlines REP/SGN;
  25. Pullman Saigon Centre;
  26. Voo Vietnam Airlines SGN/HAN;
  27. Sofitel Plaza Hanoi;
  28. Pelican Cruise Halong Bay;
  29. ACV Business Lounge (HAN);
  30. Voo Qatar Airways HAN/BKK;
  31. Bangkok Marriott Hotel Sukhumvit;
  32. Salas Vip BKK Internacional;
  33. Novotel Hong Kong Century;
  34. SilverKris First Class Lounge (HKG);
  35. Voo Singapore Airlines HKG/SIN – Airbus A380.
SilverKriss Business e First Class Lounges (SIN)
SilverKriss Business e First Class Lounges (SIN)

Pra quem não é tão fanático como eu em tudo que se relaciona ao mundo da aviação civil o Aeroporto de Changi reserva um sem número de opções que faz dele um lugar único no mundo. City tours, cinema e piscina são algumas das opções disponíveis aos passageiros em trânsito.

SilverKriss Business e First Class Lounges (SIN)
SilverKriss Business e First Class Lounges (SIN)

Eu, ao contrário deles, só queria chegar ao fim da esteira e subir a escada rolante que leva ao SilverKris lounge do Terminal 3.

SilverKriss Business e First Class Lounges (SIN)
SilverKriss Business e First Class Lounges (SIN)

A entrada principal está a alguns metros da escada rolante.

SilverKriss Business e First Class Lounges (SIN)
SilverKriss Business e First Class Lounges (SIN)

Ali apreentei meu passe para o The Private Room e fui acompanhado até lá, passando pelos setores destinados à Business e First.

SilverKriss Business e First Class Lounges (SIN)
SilverKriss Business e First Class Lounges (SIN)

Como eu quero contar a história num crescente, depois de algumas horas no The Private Room eu vim até o início conhecer o lounge da Business Class.

 

SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)

O lugar é gigantesco! E mesmo assim estava bem cheio:

SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)

Além do salão principal, onde também fica o bufê, existe um business center enorme à diposição:

SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)

Falando em bufê ele é bastante extenso, com opções de pratos quentes, saladas e até sushi:

SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)

Bebidas frias variadas também estão a disposição de qualquer um:

SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)

O que eu curti mesmo foi essa chopeira da Tiger Beer:

SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)

Com um detalhe: as canecas estava na geladeira ao lado, refrigeradas:

SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)

Existe até uma máquina de gelo:

SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)

Achei a ideia muito boa pois geralmente a cerveja dos lounges é quente. Fotografei também as opções de vinhos. Um tinto chileno:

SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)

Um Shiraz australiano:

SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)

E até um Champagne Charles Heidesieck:

SilverKriss Business Class Lounge (SIN)
SilverKriss Business Class Lounge (SIN)

 

Nada mal, vamos combinar! Passei então para a seção destinada à First Class:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

 

Ao virar à direita na entrada, passando por um corredor, você encontra este pódio onde o funcionário verifica se você pode acessar esta seção do lounge.

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Garantido o acesso, vira-se à direita novamente para acessar o salão principal:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

 

Este corredor divide o espaço em dois: de um lado o salão principal e o bar e do outro um bufê com mesas.

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Notem a diferença na lotação: apenas algumas cadeiras ocupadas:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Em um espaço relativamente grande, se levarmos em consideração que só passageiros voando na primeira classe em cias da Star Alliance tem acesso a este setor:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

No centro do salão há um bar com barmen a postos para preparar um drinque.

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

 

Pra quem vai de uísque a pedida era esse Royal Salute 21 anos:

 

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

As opções de vinho não ficava atrás. Tinha esse Chianti Barone Ricasoli Brolio 2010:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

E este Ben Glaetzer Bishop Shiraz 2010:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Mesmo com tão boas opções, cai na besteira de pedir o coquetél símbolo da Singapore Airlines, o Singapore Sling. Doce até dizer chega…não consegui dar mais que dois goles.

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

 

Fui conhecer então o lado das comidas:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Há uma estação onde um chef prepara pastas e noodles:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Além de pratos quentes:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Os vegetarianos também tem vez:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Cheguei bem na hora que o sushi tinha sido reposto:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Tava com uma cara tão boa que não resisti e fiz uma boquinha:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Há ainda chás da inglesa TWG:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

E sorvetes Ben & Jerry’s:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

 

O tour terminou no banheiro, que é dividido entre o First Class Lounge e o The Private Room.

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

O espaço não é grande mas é muito bem decorado:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Há algumas salas de banho onde você pode se refrescar entre um voo e outro:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Ali todo tipo de amenidade está à diposição, como creme de barbear e barbeador, enxaguante bucal, escova de dentes e até perfumes da marca Salvatore Ferragamo:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Aqui no detalhe:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Eu aproveitei para tomar uma ducha e mudar de roupa já que tinha um voo noturno na sequência:

SilverKriss First Class Lounge (SIN)
SilverKriss First Class Lounge (SIN)

Conclusão:

O Business lounge da Singapore figura fácil entre os melhores que já visitei, perdendo apenas para o Cip Lounge da Turkish em Istambul. O que falar então do espaço destinado à First? Tem tudo! Faltou apenas, sei lá, um restaurante à la carte…opa, já estou me adiantando um pouco. No próximo post eu conto melhor essa história.

Gostou do post? Assine o blog: no computador e no Ipad é no canto superior direito e no Iphone no rodapé. Basta inserir o seu e-mail.